Bett Educar - Transformando a educação

Com recorde de público, a 25ª edição da Bett Educar no Brasil, que aconteceu de 8 a 11 de maio de 2018, em São Paulo, trouxe os temas mais atuais do setor educacional, tais como cultura maker, robótica, STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, em inglês), novas tecnologias e realidade virtual nas escolas. Consoante a isso, o evento proporcionou diversas discussões sobre habilidades socioe­mocionais e, principalmente, com base nas duas principais políticas públicas educacionais do momento, debates relevantes sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a Reforma do Ensino Médio. O congresso Bett Educar apresentou 120 sessões, com 140 palestrantes, além de mais 9 workshops e 13 palestras gratuitas.

Para a diretora de conteúdo da Bett Educar, Vera Cabral, o evento é um encontro vivo de todos que participam da educação. “Aqui é basicamente um espaço de formação, onde temos a oportunidade de vivenciar as soluções e as próprias experiências que estão disponíveis no mercado do Brasil e do mundo”, afirma.

Se o congresso trata muito mais dos temas ligados à sala de aula propriamente dita, o Fórum de Gestores Bett Educar aborda questões estratégicas que dizem respeito aos caminhos trilhados pela educação. O evento, que acontece dentro da Bett Educar, é realizado em parceria com a Linha Direta, a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) e o Sindicato dos Estabele­cimentos de Ensino no Estado de São Paulo (Sieeesp) e reúne gestores e lideranças educacionais do País e do exterior.

Na edição de 2018, o Fórum, além de abordar as questões ligadas aos aspectos econômicos e sociais da escola na sociedade, trouxe também um olhar voltado para a gestão acerca dos temas da BNCC e da reforma do Ensino Médio. Além da Educação Básica, o Fórum de Gestores inovou em 2018 ao trazer para o debate representantes do Ensino Superior. “O grande ganho desse encontro é vivenciar com os pares toda essa fase de transformação que experimentamos, trabalhando para evoluir os nossos modelos de escolas e de instituições, sejam elas de Educação Básica, sejam elas de Ensino Superior”, conclui Vera.